INTERVIEW: Cryptae

Fotos de banda maneiras (Reprodução)

[SCROLL DOWN FOR THE ENGLISH VERSION!]

por Nilo Vieira

O Cryptae possui apenas três lançamentos no catálogo, mas só isso já basta para colocar o duo dos Países Baixos entre os nomes mais promissores do metal contemporâneo. Nightmare Traversal, o primeiro disco completo, saiu no começo deste mês pelo selo Sentient Ruin e mostra que a dupla segue fértil na sua visão torta para o death metal – e não se resumem a isto, dado que o baterista René também soltou Orphan em 2020, a recomendadíssima odisseia hipnótica black metal drone do Plague Organ. Conversei com eles sobre o novo disco, as inspirações de videogames e muito mais, só descer o navegador aí!

Continue lendo “INTERVIEW: Cryptae”

INTERVIEW: Paysage d’Hiver

por Nilo Vieira

[SCROLL DOWN FOR THE ENGLISH VERSION!]

É estranho pensar que o Paysage d’Hiver tenha lançado seu primeiro álbum em 2020. O projeto, composto apenas pelo multi-instrumentista Tobias “Wintherr” Möckl, é nome cult no black metal há pelo menos vinte anos, com um som tipicamente lo-fi e introspectivo – incluindo aí registros puramente ambientais. Mas o auge veio mesmo este ano, com a odisseia de duas horas chamada Im Wald, um dos melhores discos de 2020. Conversei com Wintherr sobre o disco, a história do black metal e mais, desce a barrinha aí!

Continue lendo “INTERVIEW: Paysage d’Hiver”

ENTREVISTA: Duma

Martin “Lord Spike Heart” Khanja e Sam Karugu (Foto: Reprodução)

[ENGLISH BELOW!]

por Nilo Vieira

Para quem gosta de acompanhar lançamentos fora da curva, poucos selos são tão recomendados como o Nyege Nyege Tapes. Após registros essenciais de cenas na Tanzânia, Mali e Uganda, a bola da vez é o duo queniano Duma, cuja estreia homônima saiu em agosto. A sonoridade peculiar de Martin e Sam é eletrônica, mas enraizada no metal extremo (ambos tocavam em bandas como o Lust of a Dying Breed) – o que só confirma o quão ampla e subestimada são as vanguardas do continente africano. Conversei com a dupla sobre esses e outros assuntos.

Continue lendo “ENTREVISTA: Duma”

ENTREVISTA: Jamie Saint Merat, do Ulcerate

Da esquerda para a direita: Michael Hoggard, Paul Kelland e Jamie Saint Merat (Foto: Divulgação)

[ENGLISH BELOW!]

por Nilo Vieira

O novo trabalho do Ulcerate, lançado em abril deste ano pela Debemur Morti, já era impressionante: o trio segue executando um death metal de composições intrincadas, mas agora com ênfase em melodias melancólicas. Com a pandemia, Stare into Death and Be Still se converteu em trilha sonora para o apocalipse em andamento. O baterista Jamie Saint Merat conversou comigo sobre este cenário e otras cositas más. Só descer o navegador.

Continue lendo “ENTREVISTA: Jamie Saint Merat, do Ulcerate”

ENTREVISTA: Guillaume Cazalet, do Neptunian Maximalism

Transe interplanetário: a trupe em ação, Guillaume no centro (Foto: Emilie Foudelman / Shoot Me Again)

[ENGLISH BELOW!]

O Neptunian Maximalism é um coletivo belga, formado pelo músico Guillaume Cazalet (o único membro fixo do projeto) e com o ambicioso objetivo de ilustrar o período antropoceno através da música. No último mês de junho, lançaram o álbum de estreia Éons, um tijolo de duas horas que vai do drone ao jazz, do metal ao industrial – o Bandcamp os definiu como “Sunn Ra))) Arkestra”. Fui atrás do líder da banda para saber mais sobre um dos grandes discos de 2020. Confira!

Continue lendo “ENTREVISTA: Guillaume Cazalet, do Neptunian Maximalism”

ENTREVISTA: Fernando Pellon

Deu no jornal: capa de um legítimo disco maldito (Foto: Reprodução / Discogs)

Tragédias e humor nunca foram estranhos ao samba, mas o único LP da Malta de Areia segue chocante. Em nove canções, temas como suicídio, desilusões amorosas, acidentes de trânsito são abordados com um humor ácido: “Quando soube que estava canceroso / Ergui louvores ao criador“, diz a abertura em “Porta Afora”. Como aditivo, trata-se de um registro lançado em plena ditadura militar – e o disco, maldito por natureza, se tornou uma pérola oculta que segue sendo (re)descoberta por gerações de loucos. Conversei com Fernando Pellon, compositor e líder do coletivo sobre censura, o status de raridade e muito mais. Desce aí!

Continue lendo “ENTREVISTA: Fernando Pellon”

ENTREVISTA: Colin H., do Amenra

Um reino solitário: a banda, com Colin focado à esquerda (Foto: Stephan van Fleteren)

Um dos principais expoentes do metal belga, o Amenra ganhou fama pela sonoridade cáustica (um híbrido de sludge, post-rock e post-hardcore) e, especialmente, por shows intensos. E eles estão chegando no Brasil, para três shows produzidos pela Xaninho Discos – 28/02 no Rio de Janeiro, 29/02 em Belo Horizonte e 01/03 em São Paulo. Espirituoso, o vocalista e líder Colin conversou comigo sobre expectativas, Bélgica, Andrei Tarvkosky e mais. Só descer o navegador!

Continue lendo “ENTREVISTA: Colin H., do Amenra”

ENTREVISTA: Have a Nice Life

Reunidos pelo destino: Tim (esquerda) e Dan (Foto: Divulgação)

por Nilo Vieira

Dan Barrett e Tim Macuga imaginavam que ninguém daria bola para o Have a Nice Life, e então se sentiram livres para gravar o que bem entendessem. Acontece que Deathconsciousness, o primeiro álbum, virou um fenômeno na Internet – a gravação caseira, hibridismo entre estilos e, principalmente, as letras depressivas conquistaram centenas de fãs /mu/ afora. Mesmo assim, a dupla segue no seu próprio tempo: Sea of Worry, lançado em novembro de 2019, é apenas seu terceiro disco até aqui, e shows são raros. Conversei rapidamente com o duo sobre tudo isso, leia abaixo.

Continue lendo “ENTREVISTA: Have a Nice Life”

ENTREVISTA: Greg Chandler, do Esoteric

Esoteric em 2019: Greg Chandler no centro (Foto: Divulgação)

por O De Sempre

Muito justo considerar as bandas Skepticism e Thergothon como pioneiras do chamado funeral doom metal. Mas é importante não esquecer que os britânicos do Esoteric estão aí desde 1992, e inclusive lançaram álbum de estreia (Epistemological Despondency, de 1994) antes de seus contemporâneos finlandeses. A abordagem lisérgica do grupo segue entre as mais peculiares do doom, como bem mostra o novo disco A Pyrrhic Existence, lançado esta semana. Conversei com o frontman e guitarrista Greg Chandler sobre a jornada errática da banda, o mundo digital e outras coisas. Desce aí!

Continue lendo “ENTREVISTA: Greg Chandler, do Esoteric”